top of page

Plano de Trabalho e Certificados 

A criação de um documento de Plano de Trabalho de uma associação depende do objetivo e das atividades que a associação pretende realizar.

No entanto, um plano de trabalho eficaz geralmente inclui os seguintes elementos:

- Claridade, Realismo, Especificidade, Viabilidade financeira, Flexibilidade, Participação, Monitoramento e avaliação para garantir que as metas sejam alcançadas

Os certificados e registros asseguram a legalidade, transparência e credibilidade das atividades da ONG (OSC), permitindo que ela tenha acesso a recursos, participe de editais e concursos públicos, e preste contas de suas ações e recursos recebidos de forma clara e transparente.
CLIQUE nos links abaixo por segmento ou nos solicite informações. 

Âncora 1
Âncora 2
Âncora 3
Âncora 4
Âncora 5
botao-whatsapp.png

Uma ONG que trabalha com crianças e adolescentes precisa estar cadastrada em diversos órgãos e entidades para poder atuar de forma legal e regular. Dentre os principais cadastros, podemos citar:

  1. Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA): é obrigatório que a ONG esteja cadastrada nesse conselho, que é responsável por acompanhar e fiscalizar a política municipal de proteção à criança e ao adolescente.

  2. Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CONANDA): esse é um órgão de âmbito nacional que também tem como objetivo acompanhar e fiscalizar as políticas públicas voltadas para a infância e a adolescência.

  3. Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social (CNEAS): esse cadastro é feito junto ao Ministério da Cidadania e é obrigatório para todas as entidades que atuam na área de assistência social, incluindo aquelas que trabalham com crianças e adolescentes.

  4. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): é necessário que a ONG tenha um CNPJ para poder receber doações e recursos financeiros de outras entidades e empresas.

  5. Sistema de Informações para a Infância e Adolescência (SIPIA): esse sistema é uma ferramenta de gestão e monitoramento do Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente e é usado para registrar casos de violência, exploração e outras situações de risco.

Esses são alguns dos principais cadastros que uma ONG que atua na área da infância e adolescência precisa realizar para poder desenvolver suas atividades de forma legal e regular. Além disso, é importante que a organização esteja em conformidade com as leis e normas vigentes e que siga boas práticas de gestão e transparência em suas atividades.

botao-whatsapp.png

Assim como as ONGs de outras áreas, as ONGs voltadas para o atendimento de idosos também precisam de vários cadastros, dependendo do país e da região em que estão localizadas. Alguns dos principais cadastros que uma ONG de idosos pode precisar são:

  1. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): registro obrigatório no Brasil para que a ONG possa ser reconhecida como uma entidade legalmente constituída e ter acesso a diversos benefícios fiscais.

  2. Registro no Conselho Municipal do Idoso: registro necessário em muitos municípios brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos na área do idoso.

  3. Registro no Conselho Estadual do Idoso: registro necessário em alguns estados brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos na área do idoso.

  4. Registro no Ministério da Cidadania: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal na área do idoso e ter acesso a recursos públicos.

  5. Registro no Conselho Nacional do Idoso: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal na área do idoso e ter acesso a recursos públicos.

  6. Registro no Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social (CNEAS): registro obrigatório para ONGs que atuam na área da assistência social, incluindo a assistência a idosos.

  7. Registro no Sistema Único de Assistência Social (SUAS): registro obrigatório para ONGs que atuam na área da assistência social, incluindo a assistência a idosos.

É importante que a ONG verifique quais são os cadastros obrigatórios para sua atuação em sua região e se regularize de acordo com as normas locais para poder realizar suas atividades de forma legal e transparente na área do idoso. Além disso, é fundamental que a ONG siga todas as normas e regulamentações específicas para o atendimento a idosos, garantindo o bem-estar e a qualidade de vida dessa população vulnerável.

botao-whatsapp.png

Uma ONG que atua na área da cultura precisa estar cadastrada em diversos órgãos e entidades para poder atuar de forma legal e regular. Dentre os principais cadastros, podemos citar:

  1. Conselho Municipal de Cultura: é importante que a ONG esteja cadastrada nesse conselho para participar da elaboração das políticas públicas voltadas para a cultura na cidade.

  2. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): é necessário que a ONG tenha um CNPJ para poder receber doações e recursos financeiros de outras entidades e empresas.

  3. Lei Rouanet: caso a ONG deseje captar recursos através da Lei Rouanet, é necessário se cadastrar no Sistema de Apoio às Leis de Incentivo à Cultura (Salic) do Ministério da Cultura.

  4. Fundo Nacional de Cultura (FNC): é possível que a ONG se cadastre no FNC, que é um fundo que financia projetos culturais em todo o país.

  5. Secretaria de Estado da Cultura: em alguns estados, é necessário que a ONG se cadastre na Secretaria de Estado da Cultura para poder desenvolver projetos culturais.

Esses são alguns dos principais cadastros que uma ONG que atua na área da cultura precisa realizar para poder desenvolver suas atividades de forma legal e regular. Além disso, é importante que a organização esteja em conformidade com as leis e normas vigentes e que siga boas práticas de gestão e transparência em suas atividades.

botao-whatsapp.png

Assim como as ONGs de outras áreas, as ONGs voltadas para o atendimento de pessoas com deficiência também precisam de vários cadastros, dependendo do país e da região em que estão localizadas. Alguns dos principais cadastros que uma ONG de pessoa com deficiência pode precisar são:

  1. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): registro obrigatório no Brasil para que a ONG possa ser reconhecida como uma entidade legalmente constituída e ter acesso a diversos benefícios fiscais.

  2. Registro no Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência: registro necessário em muitos municípios brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos na área da pessoa com deficiência.

  3. Registro no Conselho Estadual da Pessoa com Deficiência: registro necessário em alguns estados brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos na área da pessoa com deficiência.

  4. Registro no Ministério da Cidadania: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal na área da pessoa com deficiência e ter acesso a recursos públicos.

  5. Registro no Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal na área da pessoa com deficiência e ter acesso a recursos públicos.

  6. Registro no Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social (CNEAS): registro obrigatório para ONGs que atuam na área da assistência social, incluindo a assistência a pessoas com deficiência.

  7. Registro no Sistema Único de Assistência Social (SUAS): registro obrigatório para ONGs que atuam na área da assistência social, incluindo a assistência a pessoas com deficiência.

É importante que a ONG verifique quais são os cadastros obrigatórios para sua atuação em sua região e se regularize de acordo com as normas locais para poder realizar suas atividades de forma legal e transparente na área da pessoa com deficiência. Além disso, é fundamental que a ONG siga todas as normas e regulamentações específicas para o atendimento a pessoas com deficiência, garantindo o respeito aos seus direitos e a inclusão social dessa população

botao-whatsapp.png

Assim como as ONGs sociais, as ONGs esportivas precisam de vários cadastros, dependendo do país e da região em que estão localizadas. Alguns dos principais cadastros que uma ONG esportiva pode precisar são:

  1. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): registro obrigatório no Brasil para que a ONG possa ser reconhecida como uma entidade legalmente constituída e ter acesso a diversos benefícios fiscais.

  2. Registro no Conselho Municipal de Esportes: registro necessário em muitos municípios brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos esportivos.

  3. Registro no Conselho Estadual de Esportes: registro necessário em alguns estados brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos esportivos.

  4. Registro no Ministério da Cidadania: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal e ter acesso a recursos públicos para projetos esportivos.

  5. Registro no Comitê Olímpico Nacional: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do Comitê Olímpico Internacional e ter acesso a recursos para projetos esportivos.

  6. Registro no Conselho Nacional do Esporte: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal e ter acesso a recursos públicos para projetos esportivos.

  7. Registro no Cadastro Nacional de Entidades de Prática Desportiva: registro obrigatório para ONGs que desejam participar de competições esportivas e receber recursos do governo federal.

É importante que a ONG verifique quais são os cadastros obrigatórios para sua atuação em sua região e se regularize de acordo com as normas locais para poder realizar suas atividades de forma legal e transparente.

botao-whatsapp.png

Uma ONG social precisa de vários cadastros, dependendo do país e da região em que está localizada. Alguns dos principais cadastros que uma ONG pode precisar são:

  1. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): registro obrigatório no Brasil para que a ONG possa ser reconhecida como uma entidade legalmente constituída e ter acesso a diversos benefícios fiscais.

  2. Registro no Conselho Municipal de Assistência Social: registro necessário em muitos municípios brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos sociais.

  3. Registro no Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente: registro obrigatório para ONGs que trabalham com crianças e adolescentes no Brasil e que desejam receber recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

  4. Registro no Ministério da Justiça: para ONGs que trabalham com direitos humanos no Brasil, o registro no Ministério da Justiça é obrigatório.

  5. Registro no Conselho Nacional de Assistência Social: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal e ter acesso a recursos públicos.

  6. Registro no Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente: registro obrigatório para ONGs que trabalham com crianças e adolescentes no Brasil e que desejam receber recursos do Fundo Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente.

  7. Registro no Ministério da Economia: para ONGs que desejam se beneficiar de incentivos fiscais previstos na lei, como a Lei Rouanet, o registro no Ministério da Economia é necessário.

  8. Registro no Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social (CNEAS): registro obrigatório para ONGs que desejam participar de programas sociais e receber recursos do governo federal.

É importante que a ONG verifique quais são os cadastros obrigatórios para sua atuação em sua região e se regularize de acordo com as normas locais para poder realizar suas atividades de forma legal e transparente.

Âncora 6
Âncora 7
botao-whatsapp.png

Assim como as ONGs de outras áreas, as ONGs voltadas para o atendimento de pessoas em situação de rua também precisam de vários cadastros, dependendo do país e da região em que estão localizadas. Alguns dos principais cadastros que uma ONG de pessoa em situação de rua pode precisar são:

  1. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): registro obrigatório no Brasil para que a ONG possa ser reconhecida como uma entidade legalmente constituída e ter acesso a diversos benefícios fiscais.

  2. Registro no Conselho Municipal de Assistência Social: registro necessário em muitos municípios brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos na área da pessoa em situação de rua.

  3. Registro no Conselho Estadual de Assistência Social: registro necessário em alguns estados brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos na área da pessoa em situação de rua.

  4. Registro no Ministério da Cidadania: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal na área da pessoa em situação de rua e ter acesso a recursos públicos.

  5. Registro no Cadastro Nacional de Entidades de Assistência Social (CNEAS): registro obrigatório para ONGs que atuam na área da assistência social, incluindo a assistência a pessoas em situação de rua.

  6. Registro no Sistema Único de Assistência Social (SUAS): registro obrigatório para ONGs que atuam na área da assistência social, incluindo a assistência a pessoas em situação de rua.

É importante que a ONG verifique quais são os cadastros obrigatórios para sua atuação em sua região e se regularize de acordo com as normas locais para poder realizar suas atividades de forma legal e transparente na área da pessoa em situação de rua. Além disso, é fundamental que a ONG siga todas as normas e regulamentações específicas para o atendimento a essa população vulnerável, buscando promover a reinserção social, a melhoria da qualidade de vida e a garantia dos direitos humanos dessas pessoas.

botao-whatsapp.png

Assim como as ONGs sociais e esportivas, as ONGs de saúde precisam de vários cadastros, dependendo do país e da região em que estão localizadas. Alguns dos principais cadastros que uma ONG de saúde pode precisar são:

  1. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ): registro obrigatório no Brasil para que a ONG possa ser reconhecida como uma entidade legalmente constituída e ter acesso a diversos benefícios fiscais.

  2. Registro no Conselho Municipal de Saúde: registro necessário em muitos municípios brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos na área da saúde.

  3. Registro no Conselho Estadual de Saúde: registro necessário em alguns estados brasileiros para que a ONG possa receber recursos públicos para projetos na área da saúde.

  4. Registro no Ministério da Saúde: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal na área da saúde e ter acesso a recursos públicos.

  5. Registro no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES): registro obrigatório para ONGs que desejam prestar serviços de saúde em parceria com o Sistema Único de Saúde (SUS).

  6. Registro no Conselho Nacional de Saúde: registro necessário para ONGs que desejam participar de programas do governo federal na área da saúde e ter acesso a recursos públicos.

  7. Registro no Conselho Regional de Medicina: registro necessário para ONGs que desejam prestar serviços médicos.

É importante que a ONG verifique quais são os cadastros obrigatórios para sua atuação em sua região e se regularize de acordo com as normas locais para poder realizar suas atividades de forma legal e transparente na área da saúde

Âncora 8
bottom of page